Você já ouviu falar de casos de pessoas que ao comerem algo apresentaram sintomas como cólica intestinal, diarréia, enjoo e dermatites, mesmo os alimentos estando dentro da validade e processados de forma adequada? Existem algumas explicações para isso e as principais são a alergia e a intolerância alimentar.

Apesar de muitas vezes serem confundidas, existem muitas diferenças entre a alergia e a intolerância alimentar. Entender os pontos nos quais elas se diferem é fundamental para buscar tratamento e para evitar a ocorrência de maiores problemas.

Para isso, buscamos explicar quais as características de cada caso e destacar as medidas cabíveis para tratar cada um desses problemas. Se você sofre com algum deles, fique calmo: é possível ter uma alimentação saudável e prazerosa a partir da eliminação do agentes causadores da alergia ou da intolerância alimentar.

Entenda as diferenças entre alergia e intolerância alimentar

Alergia Alimentar

A alergia alimentar é um problema nutricional que afeta tanto crianças quanto adultos, tendo maior incidência entre as crianças. A reação ocorrre quando o organismo identifica proteínas alimentares e desencadeia uma série de mecanismos imunológicos logo após a ingestão, podendo levar a diarréia prolongada, vômitos, dermatites e choque anafilático.

A hereditariedade, a exposição a alimentos com grandes teores de proteína, a permeabilidade gastrointestinal e fatores ambientais, como stress, podem ser o gatilho ou acentuar os sintomas da alergia. Os principais alimentos que podem desencadear alergia alimentar são: leite de vaca, ovos, crustáceos (camarão, siri, etc), oleaginosas (amendoim, nozes, etc), trigo e soja.

Infelizmente não há cura, e sim tratamento, realizando a pesquisa dos alimentos alérgicos para assim excluir da dieta e substituir por outras opções. Um exemplo é o indivíduo celíaco, alérgico ao glutén (proteína encontrada no trigo, cevada, centeio) que substitui refeições a base desses cereais, por alimentos a base de milho, arroz, mandioca e grão de bico.

Intolerância Alimentar

A intolerância alimentar ocorre por motivos semelhantes à alergia alimentar, mas existe uma diferença básica: ela não tem ligação com o sistema imunológico. Assim sendo, não é uma defesa do corpo contra alguma substância. Nesse caso, a questão é a falta das enzimas que realizam a digestão dos alimentos.

A mais comum é a intolerância à lactose, ocasionada pela falta da enzima lactase, que é responsável pela digestão da lactose, açúcar encontrado no leite e derivados. Outros agentes podem desencadear intolerâncias alimentares: defeitos nas enzimas, reações à medicamentos, corantes e outras substâncias artificiais incorporadas em diversos alimentos.

A intolerância alimentar pode causar dores de cabeça, nas articulações, diarréia, cólica intestinal, constipação, cansaço e mal estar, além de afetar outras partes do corpo como a pele e o sistema respiratório. O problema pode ser hereditário ou pode manifestar-se em qualquer momento da vida de uma pessoa. Observe os sintomas e em caso de dúvidas, procure um médico e um nutricionista.

A medida de tratamento para a intolerância alimentar é a eliminação dos alimentos que contenham os agentes causadores. No caso dos intolerantes a lactose, encontramos no comércio alimentos modificados com a exclusão nesse nutrientes (sem lactose ou lactofree) além de alimentos que podem substituir o leite e derivados comuns, como é o caso dos leites e derivados vegetais a base de soja, coco, aveia, arroz, oleaginosas, dentre outros. Para alguns casos de intolerância alimentar também é indicado o uso da enzima artificial.

Ficou com alguma dúvida? Ligue para Clínica Sandin através do telefone (48) 3247-5158 ou entre em contato através do site, clicando aqui.

Para mais dicas, curta nossa fan page, siga-nos no Instagram e acompanhe nossas atualizações!