No próximo dia 29 agosto será comemorado o Dia Nacional do Combate ao Fumo. Criado em 1986 pela Lei Federal nº. 7.488, a data tem como objetivo reforçar as ações nacionais de sensibilização e mobilização da população brasileira para os danos sociais, políticos, econômicos, ambientais e para a saúde causados pelo tabagismo.

Comprovadamente, a fumaça do cigarro contém mais de 4.700 substâncias tóxicas, entre elas o arsênico, a amônia, o monóxido de carbono (o mesmo que sai do escapamento dos veículos) e substâncias cancerígenas.

Para contextualizar e explicar o impacto do tabagismo no seu cotidiano, listamos cinco problemas respiratórios e otorrinolaringológicos que o cigarro pode causar à sua saúde.

Cinco problemas que o tabagismo pode causar:

Rouquidão

Se você fuma, provavelmente esteja habituado a passar por períodos de rouquidão. O problema acontece pois o fumo provoca uma inflamação crônica nas cordas vocais, que pode evoluir para lesões consideradas pré malignas, como as leucoplasias e mesmo câncer de laringe. Em casos extremos, estas lesões começam a causar obstrução a passagem do ar com dificuldade respiratória e dificuldade de deglutição.

Mudanças na voz

Outras alterações vocais também podem ser percebidas quando você tem o hábito de fumar. Além da rouquidão, o cigarro também pode engrossar a sua voz, principalmente nas mulheres, devido a um edema das cordas vocais. Esta lesão conhecida como edema de Reinke é um indício que o cigarro está afetando sua laringe e funciona como um aviso que está na hora de parar de fumar.

Tosse

O acúmulo de substâncias tóxicas no pulmão em decorrência do tabagismo também pode ser um fator que desencadeia a tosse. Dentre os problemas pulmonares que o cigarro pode desencadear, estão a asma, a bronquite, a pneumonia, a doença pulmonar obstrutiva crônica, conhecida como DPOC, onde se inclui o enfisema e a bronquite crônica e o câncer de pulmão.

Pigarro

O tabaco altera a superfície das vias aéreas e, graças ao potencial tóxico de algumas substâncias presentes na fumaça do cigarro e a temperatura da fumaça ingerida, os cílios, que são pequenos pelos superficiais que têm a função de defesa, morrem e param de funcionar. Isso impede a depuração de partículas presas na via aérea, e a expulsão de secreções aumentando a frequência dos pigarros.

Câncer de Laringe, Faringe, Boca e Pulmão

O tabagismo é o principal vilão quando o assunto é o câncer. As substâncias tóxicas presentes no cigarro podem desencadear diversos tipos de tumores malignos, e os principais órgãos atingidos são a boca, a garganta e o pulmão. Quem fuma tem sete vezes mais chance de desenvolver um câncer de boca ou garganta, por exemplo. Se associado ao consumo de álcool, o tabagismo aumenta em 38 vezes as chances de desenvolver câncer de vias aerodigestivas altas. O sistema respiratório é o principal prejudicado pois é a porta de entrada no corpo para a absorção dessas substâncias.

Porém, nem tudo está perdido e após parar de fumar…

– Em 72 horas , é perceptível a melhora na respiração.

РEm 1 m̻s, aumenta a perfuṣo da pele, melhorando sua apar̻ncia.

– De 3 a 9 meses, os problemas respiratórios, como a tosse, diminuem e podem desaparecer. A função pulmonar aumenta em 10%.

– Em 1 ano, o risco de infarto cai pela metade.

РEm 6 anos, o risco de c̢ncer de garganta come̤a a diminuir.

РEm 10 anos, o risco de c̢ncer de pulṃo cai pela metade.

РEm 15 anos, o risco de infarto e o risco de desenvolver c̢ncer de garganta torna-se igual ao de ṇo fumantes.

Ficou com alguma dúvida? Ligue para Clínica Sandin através do telefone (48) 3247-5158 ou entre em contato através do site, clicando aqui.

Para mais dicas, curta nossa fan page e acompanhe nossas atualizações!